16.12.06

O flexi-desemprego

Portugal, diz-se com o delírio habitual que é típico dos governantes, aposta na formação, na educação e na tecnologia. Deve ser por isso, presume-se, que os jovens licenciados têm empregos mais precários dos que os que têm apenas o 9º ano de escolaridade. Como não há almoços grátis, a escolha de pessoal menos qualificado e, assim, mais barato, deve ser uma nova política governamental: o flexi-desemprego. Que tem como modelo o Camboja e Myanmar.

3 comentários:

a voz disse...

Fernando

Tens que deixar os postais mais tempo na página principal.

Abraço.

João Villalobos disse...

Sempre em forma! :)
Abraço grande
(Vou linkar no Corta-Fitas)

Grsch disse...

Ficar desempregado e mesmo duro ! Indico este site para ajudar a galera que esta desempregada: Empregos, Estágios & Concursos

Abraços.